sábado, 10 de maio de 2014

Desconstruindo #10 - Todas as estradas levam a Paris



Senhoras e senhores, viajantes e viajantas (existe isso?),

Dando continuidade à nossa série sobre viagens, hoje eu e o Thiago Cabello chamamos o Deive Pazos (Jovem Nerd), a Fernanda Barone (De Mala e Mochila e Meu Fabuloso Destino) e o nosso sempre presente amigo Andrés Ramos para desconstruirmos todos os aspectos de Paris.

Mais do que um programa sobre as atrações da capital francesa, falamos sobre a história da Cidade Luz, desde os gauleses até hoje, passando pelos reis absolutistas e pela Segunda Guerra Mundial. Saiba também como se preparar para a viagem, os documentos necessários, o translado a partir do aeroporto e como se movimentar em Paris. E ainda, ACIMA DE TUDO, torça para o Thiago Cabello e sua noiva, que neste exato momento estão dentro do avião embarcando para essa incrível jornada.

O podcast ficou GIGANTE (2h03), mas resolvemos manter em um único arquivo para preservar a continuidade e a fluidez da conversa. Vale a pena escutar até o final. 

Se você já esteve em Paris, compartilhe conosco a sua experiência. Se não esteve, diga-nos o que achou deste papo, o que faltou, o que mais desejam saber e quais destinos gostariam de ver abordados nos próximos programas, escrevendo nos comentários abaixo. E boa viagem!

» Baixe aqui o programa (clique com o botão direito e aperte "Salvar Link Como")

LINKS COMENTADOS NO PROGRAMA

» De Mala e Mochila.com.br
» Meu Fabuloso Destino (blog da Fernanda)
» Restaurante Chez Janou de Paris
» NerdCast sobre Napoleão Bonaparte
» NerdCast sobre a 1ª Guerra Mundial
» NerdCast com a Fernanda Barone
» Site e aplicativo Citymapper Paris
» Como e onde comprar chip pré-pago?
» Mapa de Paris pelo site Wikitravel
» Metrô de Nova York (The Zueira...)
» Translado do aeroporto para Paris
» Paris Time Out (vida noturna na capital)
» Nos ancêtres les Gaulois


OUTROS LINKS

» Assine o Desconstruindo no iTunes
» Escute os programas anteriores

27 comentários:

leandro disse...

Baixando depois volto para comentar quanto maior a duração do podcast melhor.

M. Manthay disse...

Paris nunca foi meu sonho ou desejo de visita (diferente de Quebec ou Orlando) Mas depois de Paris ser Desconstruído por um anão e um Anjo caído kkkkkkkk até me deu curiosidade de ir à este "povo de biquinho" kkkkkkkkkkkkk

Lívia Silva Santos disse...

Excelente cast! Eu fui ano passado e posso citar algumas coisas:

-excelente dica sobre a segurança. Vi meninas ciganas na torre eiffel, no museu d'orsay e na sacre coeur. tem que ficar esperto

-a monalisa é pequena, mas vale a pena pela história e pela sala onde ela fica, que tem outros excelentes quadros

-o louvre é foda demais, mesmo sendo enorme e sabendo que tu não consegue conhecer tudo de uma vez, vale a pena... faça valer a pena e se programe para ver o que tu quer.

-me arrependo de não ter ficado mais tempo em certos lugares, por exemplo, jardim de tuilleries

-vá à Reims de trem! é uma delícia de passeio e a catedral de Notre Dame de lá é outra aula de história

-vale a pena aprender uma outra palavra em francês. eu fiz algumas aulas antes de ir, e fui super bem atendida em todos os lugares, mesmo quando não entendia alguma palavra. "bonjour, je suis desolee, parlez-vous anglais?"já ajudam :D

-para quem gosta de primeira e segunda guerra precisam ir ao hotel dos inválidos e ao museu das grandes guerras mundiais, é demais e emocionante!

[]s
Lívia

APS disse...

Parabéns por mais um podcast interessante, inteligente e cheio de conteúdo útil. Por falar em conteúdo útil, gostaria de dar uma dica a todos que se interessam por viagens. São guias de diversos destinos com informações para turistas que querem gastar pouco. Veja em http://www.maosdevaca.com/
Abraços a todos!

UEU disse...

Ótimo papo. É até engraçado ouvir um podcast em que o Azaghal participa mas não tira sarro de todo mundo. Estive em Paris em 2012 e foram alguns dos melhores dias da minha vida. O segredo é justo o que vocês mencionaram: não ficar preso em expectativas e se deixar levar pela cidade - de preferência a pé. Já que vocês pedem sugestões de destinos para desconstruir, eu gostaria de um episódio contando experiências de viagem boas e ruins pelo Brasil. Não é por ufanismo, não: acho que as ruins dariam bons motivos para rir e as boas podem valer como dica. O Brasil é um país continental, mas às vezes a gente não conhece muito bem sequer o que está a uma hora de carro. É isso, parabéns!

leandrodonda disse...

Olá pessoal, excelente Cast!

Estive em Paris em novembro 2011 com minha esposa e minha filha (na época com 1 ano) e ficamos 8 dias. Foi nossa primeira viagem internacional e nos apaixonamos! Moramos em Berlin (cidade excelente para um Desconstruindo rsrs) e, mesmo depois de visitar diversos países, podemos dizer que é a cidade mais linda que conhecemos!

Além das dicas que o pessoal deu, tenho algumas outras:

- Jardins do Palácio de Luxemburgo: o lugar é lindo e ótimo pra fazer um piquenique;

- O Panteão (muito perto do acima): possui uma história riquíssima, além de ser o túmulo dos principais pensadores Franceses. Lá vc encontrará diversas obras legais e o Pêndulo de Focaut;

- A Galerie Lafayet: acho que a principal das lojas de departamentos de Paris. Nem que vc não compre nada, vale a visita.

- Ópera Garnier: um prédio lindíssimo e que vale a visita mesmo que não assista a uma apresentação.

- Arco do Triunfo: no fim de todos os dias há uma homenagem ao soldado desconhecido (soldados mortos em guerras) no Arco do Triunfo, é curtinha mas bem legal tbm.

- Pouca gente sabe mas há 3 arcos em linha em Paris começando pelo do Louvre, passando pelo Arco do Triunfo e terminando No Arco Novo (ainda maior e moderno), se der tempo, faça esse trajeto.

- A Champs Eliseé é um passeio que deve ser feito, vc passará por diversos pontos e construções históricas e verá as principais marcas mundiais.

Estamos voltando à Paris em julho com minha sobrinha (presente de 15 anos) e tentaremos visitar os locais sugeridos no Cast que ainda não visitamos.

Abraços!!!

Tiago César Oliveira disse...

Eduardo, por favor, disponibiliza um ZIP... Eu não consigo baixar MP3 da rede da empresa! :(

Xisberto disse...

Fui uma vez e não tinha vontade nenhuma de voltar, mas chegou a vontade depois de ouvir o podcast.

Dois pontos que visitei e acho que deveriam constar: os jardins de Luxemburgo e o Panthéon. Os dois ficam bem próximos e são ótimas pedidas.

O Panthéon é uma igreja que durante a Revolução foi transformada em um "templo da civilidade". Lá estão enterrados vários franceses famosos, e é lá que fica o pêndulo de Foucault, que foi usado para provar que a terra gira :)

Será que rolam uns links com informações sobre os museus mais desconhecidos que foram citados?

Caroline Silva disse...

Eu moro em Paris há quase um ano, e posso dizer que estou há quase um ano ainda tentando me adaptar ao jeitinho "delicado" de ser do parisiense. A vantagem de ser turista aqui é não depender do serviço público, porque é aí que você encontra as pessoas mais "simpáticas" da romântica cidade. :P

Bom, pro rapaz que vai viajar pra Paris agora faltou a PRINCIPAL DICA: NUNCA jogue fora o ticket de metrô da viagem que ainda está sendo feita! Aqui não existem controladores nas catracas do metrô; você passa o ticket, a catraca te devolve ele e você deve guardá-lo até sair de fato do metrô para a rua. De vez em quando eles montam barreiras de seguranças nas saídas para controlar esses tickets, e se vocÊ tiver jogado o seu fora sem querer, vai precisar pagar uma bela multa...

Uma outra dica, para sair à noite, recomendo vivamente o Quartier Latin (estação Saint-Michel) ou a região da Rue Mouffetard (estação Place Monge). São dois dos burburinhos mais legais para conhecer restaurantes típicos ou barzinhos, além de poder tomar um belo sorvete em formato de flor. <3

Alex Avilez disse...

Grandes desconstrutores! Eduardo, foi um prazer te conhecer pessoalmente aqui no evento em Niterói e ter os meus livros autografados por você! Espero que tenha gostado da camisa do Papo!

Eu acabei de voltar de voltar de uma viagem pra Europa com a minha esposa e a nossa última parada foi em Paris. La no site do Papo tem 3 posts falando sobre todas as cidades que fomos, contando um pouco de como foi a viagem e dando dicas pra galera que está indo.

Pra quem quiser é só ir lá, e pra galera que queira saber mais como foi, segue o link do post sobre a cidade luz (PRA QUEM GOSTA DE STAR WARS TAMBÉM)!

http://paponoelevador.com/fora-do-elevador-3-parada-veneza-e-paris/

Bushido disse...

Excelente Desconstruindo sobre Paris. Está na minha lista da minha Eurotrip junto com: Bélgica,Inglaterra,Irlanda e Holanda

Antisec Morais disse...

Antisec Morais-23 anos-Ciência da Computação-Recife

Olá, adorei o podcast, varias dicas interessantes.Legal saber as dificuldades de cada um com a língua estrangeira neste caso a francesa.Seria interessante fazer um podcast sobre como foi o percurso de cada um até dominar uma nova língua.O que vai ter de gente falando igual ao Joel Santana com os gringos na Copa, meu Deus.Mas é isso aí, o espírito é esse, o podcast já tomou corpo.Continua assim.Um abraço.

Raphael Riedtmann disse...

Ei nerds, só quero deixar meus parabéns pelos episódios sobre NY e Paris. Já estive em ambas as cidades e fiquei com vontade de retornar! Continuem com a série!

Victor Mazzoni disse...

Victor Mazzoni, 23 anos
Estudante de Sistemas de Informação
Juiz de Fora - MG

Bem legal o modo como abordaram as várias facetas de Paris.
Eu cheguei à cidade de trem, pela Gare d'Austerlitz, e indico fortemente a todos que se informem MUITO bem sobre as estações de trem da cidade, pois tive problemas quando fui pegar o trem pra seguir a Milão (indicava uma estação no bilhete, mas o trem saía de outra e não passava pela indicada).
Concordo com o Azaghal quanto aos franceses: são bastante mal educados. Por exemplo, cheguei em uma padaria e entrei na fila. Chegando minha vez, fiz o pedido em inglês. A atendente pediu que eu esperasse ao lado da fila e atendeu TODAS as pessoas que faziam pedidos em francês. Ao terminar todo o atendimento, se voltou pra mim e perguntou o que eu queria, em francês! Como respondi em inglês, ela fechou a cara e me serviu de forma rude.
Quanto as pontos turísticos, todos merecem ser vistos mesmo. Cenas como a vista da Torre, a partir do jardim próximo a ela, são inesquecíveis.
Comprei bastante souvenir em lojas de imigrantes, que ficam próximas à Catedral de Notre Dame.
Gosto bastante do podcast de vocês e sugiro que sigam nessa linha de diretores (grande programa sobre o Woody Allen) e cidades.
Grande Abraço.

Natanael disse...

Natanael, 24 anos, Joinville, SC
Estudante de Eng. Civil

Excelente podcast, mas eu nunca tive vontade de conhecer Paris!! Prefiro destinos menos "glamurosos" como Vietnã, Filipinas ou Nepal. Ainda irei conhecer "A cidade dos 3 mil templos" que fica em Bagan, em Mianmar. Viajar é sempre bom, só acho que vocês poderia ter falado de preços, pois acredito que é o que mais pesa na hora de fazer as malas e se jogar no mundo, no mais, parabéns pelo excelente trabalho.

Rodrigo Rique disse...

Muito bom o podcast. Como sempre...
Um museu que faltou e não pode ficar de fora é o Museu RODIN. Fica bem perto do Hotel Invalides e tem um jardim muito bonito com as principais esculturas do mestre, como o pensador, a porta do inferno, Balzac etc.
Vale muito a pena comprar o Paris Museum Pass, que te dá acesso aos principais museus e evita filas.
Para quem tem mais dias e quer conhecer algumas cidades vizinhas, além de Versailes, eu recomendo que vá a Giverny, que tem a casa do pintor Monet, com um grande jardim, que foi cenário de muitos dos seus quadros.

Rafael Filipak disse...

Só um aqui um relato de problema: Tenho dois leitores de podcast no celular, e em nenhum dos dois ele consegue fazer o download da segunda parte dos programas. Acho que seria legal tentar colocar como outro tópico a segunda parte e não só mais um arquivo. No mais ótimo podcast, excelente trabalho e por favor gravem mais frequentemente!

Davix disse...

Ano passado fiz um mochilão pela Europa por 3 meses, (O nerdtour foi um dos meus incentivos), e por várias cidades que passei, Paris foi uma das mais interessantes. Mas, eu só percebi isso depois de visitar outras cidades, pois a cidade Luz tinha sido minha segunda visitada (após Londres). À primeira vista, achei-a overrated, mas conforme eu ia conhecendo outros lugares, percebi que a cidade de Napoleão tem algo diferente. Não sei o que é, mas é um lugar muito interessante de visitar e revisitar.

Sobre os franceses, eu não tive nenhum problema com eles, acredito que pelo fato de você tentar se comunicar primeiramente em francês, já os deixa mais solícitos. Tirando aqueles caras que te enchem o saco, principalmente na Sacre Coeur, que eu descobri um jeito deles não te importunarem, eis como: eu tinha um mini-dicionário básico de viagem de várias línguas, e tinha uma frase em francês "allez vous en", que significa "Sai para lá". Depois de perceber que "no" não funcionava muito, eu usei essa palavra mágica e, de repente, eles pararam de me encher o saco na hora. Me senti um Jimmy Carrey no filme O todo poderoso, que em uma palavra fazia todo mundo ficar quieto. (Ok, não era tanto assim).

E por último, sobre palácios, (e incluo museus também, mas com exceções), depois que você viu um, viu todos. Visitei vários palácios e é praticamente a mesma coisa. O negócio é visitar só o mais bonito (que Versalhes ganha de todos) e nos outros só dar uma 'passadinha'.

Ah, lembrando que no museu do Hospital de Invalides está o cavalo branco de Napoleão, empalado.


Davi Leichsenring

Vincent Angelo di Hunter disse...

Boa tarde Desconstrutores, tudo na paz? Ótimo cast, curti bastante ouvir o pessoal comentando sobre suas viagens a Paris. Tão perfeita a explicação dos detalhes de cada lugar, pontos turísticos, enfim, me fizeram adicionar Paris a minha lista de viagens, que pensava em deixar apenas com Nova York/Nova Zelândia e Itália. Meus mais sinceros parabéns, continuem excelentes no que fazem, como sempre, e um forte abraço, de um escritor nerd chamado Gabriel Bernardes (D-Hunter).

filipe galvao disse...

Fala galera blza?
Bom só queria compartilhar uma coisa.
Estou de casamento marcado para o ano que vem, e decidi passar a lua de mel em Paris depois de ouvir esta ultima desconstrução...
Saudações Nerd's e vida longa a vocês,

Eduardo Felipe disse...

Gostei muito cara! Estou planejando uma viagem para Paris no final do ano e o cast veio a ser muito util! Já estive em Paris por algumas horas, quando viajei para Portugal fiz uma escala de 8h por lá. É linda a cidade...
Uma curiosidade, vocês falaram do Vercingetorix, o "Willian Wallace da frança", ele foi inspiração para a criação do personagem Asterix sabiam?

Uma outra coisa que foi comentada na leitura dos feedbacks, vocês pretendem fazer um Desconstruindo sobre Lovecraft? Po Eduardo, se ainda estiverem com aquela ideia de convidar um ouvinte, falem comigo! Meu e-mail é eduardofelipe@gmail.com, me amarro em Lovecraft e conheço bastante, uma vez até troquei uma ideia pessoalmente com o Eduardo sobre uma adaptação para teatro que eu estava escrevendo para o conto "Ar Frio", não sei se lembra disso...

Um abraço!

R. Baldo disse...

Vou ser rápido, para passar o recado: cast sobre os livros e o personagem Drizzt, NOW! :-)
As participações dele na literatura, na mitologia D&D, board games, videogames e afins.

Fernando Petri disse...

Fernando Petri
São Gonçalo, RJ
Estudante de Letras - Grego na UFF.

Sobre o orgulho dos franceses e dos americanos posso apontar uma questão linguística envolvida.

Franceses: até "pouco" tempo atrás o francês foi uma língua extremamente influente, bem perto do que é o inglês hoje. Depois de vários fatores históricos que contribuíram para o desprestígio do país como cultura, o francês deixou de ser falado com a mesma frequência e o país se adaptou a isso. Veja bem, a França se adaptou, não os franceses. A partir disso os turistas que chegavam não mais sabiam o francês como antes. A língua é a identidade de um povo, quanto mais e mais pessoas estavam circulando pelo país sem saber a língua daqueles que eram tão bem vistos no passado... Haja esforço para receber os estrangeiros e deixar de falar a própria língua.

Americanos: acontece a inversão do que expliquei aí em cima. A variação do inglês dos EUA está tão valorizada que muitos americanos não conseguem entender que os outros países não são obrigados a saber o inglês! Como exemplo, tenho um amigo americano que conheci em um MMORPG que algumas vezes quando eu ou outra pessoa publica algo que não seja em inglês ele fala: “SPEACK ENGLISH OR DIE!” (era uma versão global do jogo, com pessoas de países que usam o espanhol o resultado é o mesmo).

OFFTOPIC – Muito legal a sessão de autógrafos que o Eduardo fez em Niterói! Precisamos de mais eventos assim.

Brandel Filho disse...

Muito bom! Na minha cidade (Porto Alegre) também tem um serviço de trem urbano, o Trensurb, o qual demorei para associar o nome à função. Mas eu era mais novo...

igor escanler disse...

http://nerdzombi.blogspot.com/ visitem meu blog ai e mt bom vao curtir

Mauricio Braga disse...

Ótimo podcast, participantes e temas excelentes, porem não tem uma constante, gostaria muito de ouvir ele com mais frequência, sendo lançado a cada um mês ou quinzenal, mesmo ciente de sua agenda.
mais uma vez parabéns pelo seu podcast e vida longa e prospera!

Mônica Ferreira disse...

Olá Eduardo!
Adorei o tema! Sempre quis conhecer Paris, mas mais por uma obrigação de turista (se é que isso exista. Depois de fazer amizade com um francês que mora em minha cidade, passei a querer conhecer a cidade por curiosidade e pela beleza que iria encontrar ali. Agora, depois de ouvir o Desconstruindo meu desejo se ampliou ainda mais. Obrigada por todas dicas fornecidas e comentários tão valiosos para quem quer se aventurar nessa linda cidade. Gostei muito das dicas sobre museus! Abraços!