terça-feira, 14 de maio de 2013

Confira um guia visual para os cenários de “Anjos da Morte, capítulo por capítulo

Uma das grandes diferenças de “Anjos da Morte” para “Herdeiros de Atlântida, o primeiro volume da série Filhos do Éden, é que esta nova obra nos apresenta uma aventura internacional, passada em diversos países e em várias épocas do século XX.

» Saiba mais sobre o romance "Filhos do Éden: Anjos da Morte"
» Confira os filmes que inspiraram "Filhos do Éden: Anjos da Morte"
» Conheça (e escute) as músicas que serão comentadas no livro

Em “Herdeiros de Atlântida” tentei propositalmente usar um cenário mais regional, como as estradas do Brasil e a região serrana do Rio de Janeiro, ambientes que, para nós, são de fácil visualização. Desta vez, porém, muitas paisagens retratadas podem soar alheias à nossa realidade, então resolvi fazer este post para ilustrar os principais cenários de “Anjos da Morte”, sempre que isso se faz necessário.

Este post contém spoilers, mas fique tranqüilo. Ele se torna absolutamente seguro se você for lendo apenas até onde você avançou. Não á revelações de roteiro ou coisas do tipo.
 
Capítulo 1: Dia D, Hora H

Omaha: Esta foi a primeira visão que os soldados americanos tiveram ao desembarcar na chamada “Hora H”. Muitas das barcaças encalharam os bancos de areia, distantes vários metros das colinas praianas.

Capítulo 5: O Primeiro dos Sete

Cabeça de praia: Horas depois da invasão, Omaha se transformou numa cidade em movimento. Trincheiras começaram a ser cavadas, cercas levantadas e equipamentos desembarcados. A visão abaixo é da orla a partir de uma das colinas.


Capítulo 6: Abul das Profundezas

Casa de Abul: Os arredores descritos no capítulo 6, inclusive a casa de Abul, existem de fato. Confira aqui a sua localização no Google Maps e se quiser, dê uma caminhada na vizinhança londrina usando o Street View.


Capítulo 7: Saint-Lô, a Capital em Ruínas

Saint-Lô: Uma das muitas cidades completamente devastadas durante a Segunda Guerra Mundial. Veja nessa imagem um pouco dessa destruição.

Capítulo 9: Marie et Louise

Monte Saint Michel: A cidade de Marie et Louise é fictícia, mas ela é inspirada no Monte Saint Michel, localizado na costa francesa, entre a Normandia e a Bretanha. Saiba mais sobre a (verdadeira) história do lugar aqui.


Capítulo 15: Controle Psíquico

Zhangmu: Esta cidade, entre a China e o Tibete, fica numa região alta e úmida. Apesar de receber visitantes e turistas, conserva ainda o seu caráter humilde.


Capítulo 16: Zac

Coutances: Também afetada pelos bombardeios, essa comuna francesa serviu como uma espécie de cidade-hospital para os soldados aliados. Na imagem, a catedral que foi usada como sanatório para os doentes mais graves.     




Capítulo 18: Marcha sobre Paris

Bosque de Bolonha: Esse fabuloso bosque fica localizado na zona oeste de Paris. Foi construído pelo imperador Napoleão III no século XIX. Embora afastado do centro, vale a visita para os turistas que estão de passagem pela França.

Le Procope: Considerado o restaurante mais antigo de Paris, o Le Procope é um café pitoresco e aconchegante.

Capítulo 19: Na Outra Margem do Sena

Jardim das Tulherias: Chamado também de Jardim das Tulheries, funciona como área de lazer no verão, já que como muitas cidades da Europa, Paris não tem praias.


Capítulo 21: Ardenas

Batalha do Bulge: O inferno gelado que foi Bastone em dezembro de 1944. Na imagem, um tanque capturado pelos americanos. Atrás, o campanário da cidade de Foy.

Passo de Elsenborn: No inverno de 1944, surgiu o boato que o passo era usado como trilha para o abastecimento de munição que vinha da Alemanha. Saiba mais sobre a região aqui.



Castelo de Wewelsburg: O castelo que aparece no capítulo 21 é real e foi de fato usado como base de operações pela SS.

Piscina cerimonial: A pia de cerimônias foi projetada pelos teóricos místicos nazistas, e ficava na ala norte.


Capítulo 28: Cão de Caça

Estrada costeira do Pacífico: A figura mostra a estrada costeira do Pacifico na altura de Santa Barbara. Embora Rocky Beach seja uma cidade fictícia, ela copia as muitas cidadezinhas que existiam na região durante os anos 50.

Capítulo 35: Busca e Destruição

Da Nang: A base aérea de Da Nang entre os anos de 1967 e 1975 era mais ou menos como uma enorme acampamento de verão. Confira também esse vídeo curto que mostra o cotidiano dentro da base.


Capítulo 37: Hué

Ofensiva do Tet: O ataque dos vietcongues no feriado do ano novo lunar desencadeou os maiores combates da guerra até então. Veja também essa reportagem da época.

Capítulo 42: Inferno Verde

Ruínas Khmer: A imagem mostra o fabuloso templo de Angkor, no Camboja. O prédio encontrado por Denyel no livro seguia o mesmo padrão, e era parte das ruínas do império Khmer. Saiba mais aqui.


Capítulo 49: Venice

Praia de Venice: Destino dos doidos, veteranos, mendigos e drogados, a praia de Venice, na Califórnia, era um reduto sui generis na década de 70 (e continua sendo até hoje).


Capítulo 51: Santa Sofia

Basílica de Santa Sofia: Convertida em mesquita depois da invasão muçulmana, Santa Sofia hoje abriga um museu. Seus minaretes dominam a belíssima paisagem de Istambul.



Capítulo 52: Expresso do Oriente

Hotel Pera Palace: Famoso por abrigar muitos hóspedes celebres, como a escritora Agatha Christie, o Pera Palace é considerado o hotel mais luxuoso de Istambul – até hoje.

Grande Bazar: Todas as nossas feiras populares, acreditem, nasceram aqui, em Istambul, há séculos. O Grande Bazar é considerado o primeiro e maior mercado popular do mundo. Dá para se perder lá dentro.


Capítulo 53: Teth

Katmandu: Capital do Nepal, Katmandu é uma cidade exótica. Na imagem, o templo de Pashupatinath, patrimônio da Humanidade, e os ghats no rio Bagmati.


Hanuman: Um dos muitos macacos de circulam por Katmandu. Há centenas deles nas ruas, nos prédios e nas margens dos rios.




Capítulo 54: Casa Segura

Rua Vauxhall Bridge, 46: O local existe de fato. Cliquem aqui para localizar o endereço no Google Maps.

Capítulo 56: Anjos e Demônios

La Travistere: Esse bairro charmoso é considerado pelos italianos como a “autêntica Roma”, longe dos centros turísticos tradicionais. O aspecto desgastado dos prédios dá à vizinhança um ar rústico e aconchegante.

Hotel Eden: O mais tradicional e melhor hotel de Roma, na opinião dos principais guias turísticos. Na imagem, o restaurante La Terrazza, com sua espetacular vista para a Cidade das Sete Colinas. Confira a localização do Eden no Google Maps e visite o site do hotel.

Capítulo 57: Escudo Humano

Basílica de Santa Maria Maggiore: A vista da praça conforme é mostrada no livro. Santa Maria Maggiore é uma das igrejas mais populares e famosa de Roma.


Capítulo 61: Dormindo com o Inimigo

Dakota: Esse charmoso prédio de apartamentos, localizado entre a rua 72 e a Central Park West, foi construído no século XIX e já abrigou muitos residentes famosos, como o ex-Beatle John Lennon, que morreu baleado em suas escadarias. Saiba mais sobre a história do Dakota aqui.

Capítulo 63: O Anjo das Águas

Fonte Bethesda: Tanto a fonte quanto o terraço estão no centro arquitetônico do Central Park e é um dos pontos mais visitados do parque. Sobre a fonte está a famosa estátua do Anjo das Águas.

Capítulo 65: Vila Sésamo

Centraal Station: É assim que escreve mesmo, com dois “as”. Um belo projeto que ocupa o centro de Amsterdã e serve de ligação às demais malhas urbanas.

Hotel Quentin: O hotel em que Denyel fica é real. Trata-se de uma acomodação de duas estrelas na rua Leidskade, número 89.


Capítulo 66: Clube do Inferno


Distrito da Luz Vermelha: Em Amsterdã, o Distrito da Luz Vermelha abriga dezenas de prostíbulos e os chamados coffe shops, onde vende-se drogas. O Clube do Inferno não existe de verdade, mas sua entrada foi idealizada para soar bem parecida à imagem dos bordeis mais tradicionais da região. Veja o local no Google Maps e dê uma passeada pela área usando o Street View.

Capítulo 68: Combustão Espontânea

Planalto de Gilf Kebir: Localizado na Líbia, esse belíssimo planalto é um dos desertos mais belos do mundo, ainda desocupado por quilômetros a fio.

Capítulo 76: Beirute

Centro do Líbano
: A imagem mostra Beirute durante a guerra civil. O estádio em destaque foi na verdade usado como depósito de munição durante os 1981 e 1982. Saiba mais sobre a guerra civil libanesa.

Capítulo 87: Um Novo Dia para Morrer

Portal de Brandemburgo: O mais famoso marco de Berlim é o portal de Brandemburgo e a Praça Paris. Foi lá que os alemães comemoraram a queda do muro, a 9 de agosto de 1989.


























18 comentários:

Pablo Maicá disse...

Spohr apenas uma pequena correção, na foto que ilustra a batalha de bulge, não é um tanque americano, e sim um Panther alemão, provavelmente capturado pelos americanos.

eduardospohr disse...

valeu brother, vou conferir :)

Ana Paula Scolari disse...

Que legal a sua ideia de postar as fotos dos lugares! Assim fica mais fácil imaginar os cenários.

Dr. Hardman disse...

Deu saudades da Europae da Turquia. Mesmo da praia maluca de Venice.

Desde o Nerd office me martirizo de não ter ouvido falar de "São Arnaldo" quando estive na França. Ou de não ter "idade útil a viajar" para ir um pouco mais para o oriente. Mas já me familiarizo com alguns desses pontos... Deve dar alguma imersão.

Só olhei acho que metade das fotos. Retomo este post quando meu livro chegar...

Nos vemos em Salvador (e talvez em Aracaju... Abriu uma Saraiva aqui desde seu último circuito com FdE... Te devo um Carangueijo na Orla).

Sucesso!

teresa regina fernandes disse...

Muito legal toda esta preparação para ler o livro: já ouvi todas as musicas e pelo menos 1 dos lugares eu já conheço: Jardim de Tulheries! Agora só falta o livro que chegará em poucos dias!!!Abs

Jardel Vieira disse...

Nem olhei as fotos dos capitulos que eu não li pra não ter nenhuma surpresa! Porque ficou tão bacana que eu vou deixar pra olhar só quando terminar de ler!!!

Marcus Martins disse...

Excelente post. Obrigado!

Marcelo Amaral disse...

Que post bacana, vou ficar de olho nele durante a leitura do livro! Na minha viagem pra Roma fiquei hospedado do lado da Santa Maria Maggiore! =)

andrekratoz disse...

sou só eu que automaticamente pensa em tolkien quando le portal de Brandemburgo???

andrekratoz disse...

sou só eu que automaticamente pensa em tolkien quando le portal de Brandemburgo???

Henrique Lacerda disse...

Eduardo, é preciso alguma autorização para você usar informações de edifícios reais, por exemplo o Dakota? Qual é a política para escrever uma ficção que passa em lugares do tipo?

Lukas Moreira disse...

Quero saber só qdo vc vem em fortaleza pra autografar meus livros xD

Rodrigo Alexandre Coelho disse...

Spohr, já há data prevista para o lançamento da versão digital do livro?
Obrigado e parabéns por este lançamento, grande abraço.

Mateus disse...

Muito bem elaborado esse post Spohr, como também deve ter dado um bom trabalho kkk.

Menino Nerd - http://meninonerd.blogspot.com.br/

Romildo lima disse...

puxa vida! to com vontade imensa de Lê o livro, parece ser riquicima essa leitura!

Mordecai disse...

FANTÁSTICO! parabéns Eduardo, você o cara. Daqui pra frente quero usar mais imagens assim, de referência visual, em minhas sessões de RPG.

o livro ficou ótimo e a seleção também. abraço!

Dani disse...

Adoreeei!! Muito bom associar a imaginação com o lugar de fato!!

Dani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.